Entre a Autonomia e o Controle: O Surgimento do Indivíduo como Condição de Possibilidade dos Saberes e Práticas Psicológicos

Arthur Arruda Leal Ferreira, André Schmidt da Silva, Filipe Herkenhoff Carijó, Karina Lopes Padilha, Maria Clara de Almeida, Mariama Augusto Furtado, Miriam Starosky, Nira Kauffman

Resumo


A noção de indivíduo é historicamente constituída. O objetivo deste estudo é mostrar quais foram as condições históricas que possibilitaram o surgimento do indivíduo e sua tomada como valor mais precioso na sociedade moderna, e como a invenção do indivíduo ocupa um lugar relevante na história do surgimento da psicologia. Atravessaremos a Antigüidade, a constituição dos Estados Modernos e a proliferação das técnicas disciplinares para construir uma história da noção de indivíduo. A experiência de individualização a que chegamos marca toda a prática psicológica, a qual oscila entre a busca de autonomia e de controle dos seus sujeitos. Sem essa dicotomia moderna – indivíduo autônomo x controlado – talvez nem houvesse psicologia, pois uma vez que o indivíduo fosse pensado unicamente como autônomo não poderíamos tomá-lo como objeto de estudo; ao passo que se houvesse apenas determinações, cairíamos no fatalismo e não seria necessária nenhuma intervenção psicológica.

Palavras-chave


História da Psicologia; Indivíduo; Autonomia/Controle

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.