Sobre a soberania da linguagem transgressiva em Bataille

Carlos Augusto Peixoto Junior

Resumo


O artigo se propõe a analisar as interpretações da obra de Georges Bataille promovidas por Michel Foucault e Jacques Derrida, as quais proporcionam um entendimento da linguagem como experiência transgressiva. A partir delas torna-se possível a apreensão de um modelo de linguagem que, ao não se restringir às categorias de estrutura e representação, permite que se incluam nele experiências subjetivas que excedem e transgridem o modo de subjetivação dominante nas sociedades moderna e contemporânea.

 


Palavras-chave


Bataille; soberania; transgressão.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.