Estética na formação contínua de professores

Carmen Ines Debenetti, Maria Elizabeth Barros de Barros

Resumo


Este ensaio aborda o exercício estético na formação contínua de professores, conceito que dá visibilidade ao seu operar na formação. Exercício que se constitui em um tempo-espaço de intensidades criadoras, implicando a criação de modos de trabalhar em sala de aula, atravessados pelo processo estético em que lemos, escrevemos, inventamos. Tempo-espaço como uma multiplicidade de acontecimentos contínuos que se inauguram a cada nova conexão e promovem mudanças, mesmo que imperceptíveis. Articula conceitos bergsonianos sobre a potência da memória nos processos criativos. Inversão do sentido do pensamento para a apreensão de uma realidade movente que implica a criação de um modo estético de trabalhar em sala de aula. Deste modo, entendemos o ato de aprender não apenas como um ato humano, mas um pensamento. Aprender é problematizar, colocar questões práticas – introduzir processos de experimentação.

 


Palavras-chave


experimentação; formação de professores; educação

Apontamentos

  • Não há apontamentos.