Políticas de comunidade: práticas engendradas numa escola de educação profissional

Suzana Maria Gotardo, Ana Lúcia Coelho Heckert

Resumo


Este artigo visa analisar as práticas produzidas sob o signo “comunidade” numa escola da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica localizada no interior do Espírito Santo. Partindo da perspectiva genealógica tecida por Foucault e da escuta de narrativas, tal como nos apresenta Benjamin, apresentamos três eixos de análise: a questão geográfica da comunidade; a comunidade pensada sob a lógica do indivíduo e a comunidade como interferência e vida partilhada. Os dados indicam que algumas práticas comunitárias podem reiterar a materialização de forças hegemônicas, tendendo a segmentar, individualizar, definir, localizar e cercear conexões singulares. Mas evidencia-se também um outro fazer-comunidade que trabalha para além de si e de suas fronteiras, que acolhe e cuida da vida-Outra.

 

 


Palavras-chave


comunidade; educação; políticas.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.