A vaidade e o dinamismo psíquico no texto Reflexões sobre a vaidade dos homens (1752)

Nayara Aparecida Saran, Marina Massimi

Resumo


O artigo aborda o conceito de vaidade como paixão da alma no livro de Matias Aires Ramos da Silva de Eça (1705-1763), Reflexões sobre a vaidade dos homens (1752), à luz da perspectiva metodológica da história dos saberes psicológicos. Da análise do texto resulta que a visão de homem de Aires é influenciada ao mesmo tempo pelo pensamento jesuítico e pelas ideias iluministas francesas. A concepção de vaidade como paixão da alma se insere na tradição filosófica aristotélica tomista e também dialoga com teorias filosóficas contemporâneas como as de Espinosa, Descartes, Hobbes. É muito interessante a discussão da relação entre vaidade e temporalidade, pois nela podem-se observar mudanças de concepção entre Aires e autores do período histórico anterior.


Palavras-chave


vaidade, paixão da alma, Matias Aires.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.