Histórias de um tabuleiro de xadrez: fragmentos de uma cidade inventada

Maicon Barbosa

Resumo


Esse texto se tece para pensar os cruzamentos entre a invenção da cidade de Aracaju, em meados do século xix, e algumas atualizações dessa história na experiência urbana contemporânea. Para isso, aproximamo-nos das descontinuidades que compõem histórias de um presente múltiplo, constituído pelo emaranhado de outros tempos. Intercessores como Michel Foucault e Walter Benjamin, entre outros, povoam a escrita e engendram um pensamento que intensifica a feitura de histórias abarrotadas de rupturas, fragmentárias, que recusam uma perspectiva progressista e contínua regida por um tempo pretensamente homogêneo. Algumas narrativas da invenção da urbe se criam no texto, perspectivando, sobretudo, o disciplinamento espacial concretizado na implantação do projeto arquitetônico traçado para a nova capital, que nasceu com a forma de um tabuleiro de xadrez. Articulando-se às histórias da invenção da cidade projetada, problematizamos algumas estratégias de controle dos espaços e da circulação dos corpos no presente.


Palavras-chave


história do presente; narrativa; experiência urbana

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.