Trama de saberes entre agentes penitenciários e seus desdobramentos nas estratégias de controle a céu aberto.

Rafael de Albuquerque Figueiró, Magda Dimenstein

Resumo


Os agentes penitenciários são importantes atores dentro do sistema prisional, responsáveis pelo abrir e fechar das grades, pondo em funcionamento toda a engrenagem carcerária. São eles que passam a maior parte do tempo com os detentos, custodiando-os. Sendo assim, a partir de que conhecimentos essa categoria profissional orienta seus afazeres diários? Como os saberes psi (psicologia, psicanálise e psiquiatria) figuram nesse cenário? A partir destes questionamentos, este trabalho tem por objetivo discutir as concepções e perspectivas do campo “psi” que se fazem presentes nos discursos e que modelam as práticas dos agentes penitenciários em relação a uma questão específica no âmbito prisional: a ressocialização. Os resultados apontam para concepções de subjetividade atravessadas pela ideia de interioridade e imutabilidade que produz a noção de sujeitos perigosos e irrecuperáveis. Dentre os efeitos desse processo, destacamos o desenvolvimento de estratégias de controle, em funcionamento no dia a dia do agente penitenciário.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.