Depressão: mal da humanidade? Possíveis relações entre depressão, saber “psi” e modos contemporâneos de subjetivação

Jurema Barros Dantas, Michelle Thieme de Carvalho Moura

Resumo


Entender a depressão como característica do nosso viver contemporâneo, sobretudo como um fenômeno que expressa os dilemas e as inquietações da vida moderna é a preocupação deste artigo. A partir de uma discussão teórica, queremos apresentar que mesmo com o progresso científico e tecnológico e as infinitas tentativas da sociedade contemporânea em tratá-la ou banalizá-la, reduzindo-a quase a uma situação vergonhosa e inaceitável, a depressão segue se constituindo em uma experiência cada vez mais presente nos modos de ser da atualidade. Considerando sua dimensão histórica, queremos compreender o fenômeno da depressão e sua relação com algumas características marcantes de nossa época, tais como os modos de subjetivação medicalizantes presentes na constituição dos saberes psi. Acreditamos que tematizar as questões que envolvem o fenômeno da depressão implica necessariamente problematizar a relação que estabelecemos com nossa própria vida na atualidade.

Palavras-chave


Entender a depressão como característica do nosso viver contemporâneo, sobretudo como um fenômeno que expressa os dilemas e as inquietações da vida moderna é a preocupação deste artigo. A partir de uma discussão teórica, queremos apresentar que mesmo com

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.