Ambientes e afetos: a constituição saudável e criativa em Winnicott e Espinosa

Maria de Fátima Delgado Lopes

Resumo


Este artigo visa a apresentar algumas observações a partir da teoria e da clínica psicanalítica de Winnicott, em comparação com a teoria dos afetos da filosofia de Espinosa. Tentando estabelecer um possível diálogo entre elas, já que ambas se adequariam a uma visada da completude do ser e da integração dos aspectos somático e psíquico do homem, por reconhecerem a importância do ambiente em sua função constituinte da natureza humana, caminharíamos no sentido de considerar a primeira na perspectiva de uma ''expressão clínica” da segunda. Isto significa que uma importante vertente ética na história da Filosofia Ocidental, o pensamento de Espinosa, pode dar legitimidade teórica a uma escola psicanalítica que sustenta uma nova proposta em relação à Psicanálise tradicionalmente instituída sob os pressupostos originais de Freud.

Palavras-chave


Psicanálise; Ética; Desenvolvimento psíquico

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.