Estudo das experiências da reforma psiquiátrica - Concepções de sujeito, comunidade e práticas terapêuticas

Adriana Feitosa, Celina de Campos Horvat, Débora Diegues, Fabiane Manuchakian, Ivan Ratcov, Janaína Araújo Muniz, Lílian Beatriz Perez, Michelle Finotti, Adriana Rodrigues Domingues

Resumo


A reforma psiquiátrica é um movimento que ocorreu, originalmente, na Inglaterra, França, Itália e, posteriormente, no Brasil. Este movimento tem por objetivo repensar o tratamento de pessoas com sofrimentos mentais graves a partir de experiências disruptivas em relação ao modelo asilar, este fundamentado na prática hospitalar e medicamentosa e com o objetivo de realizar o tratamento moral e disciplinar para a manutenção da ordem social. As lutas por sua transformação deram origem à construção de outras formas de intervenção, que buscaram romper com as concepções estigmatizantes da loucura e com as formas desumanas de tratamento, visando novos modos de cuidar do sofrimento psíquico e de entendê-lo. Por meio de uma pesquisa bibliográfica, este trabalho compara as experiências inglesa, francesa, italiana e brasileira, compreendendo as concepções de sujeito, comunidade e práticas terapêuticas presentes em cada uma delas. 

Palavras-chave


saúde mental; saber psiquiátrico; reforma psiquiátrica

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.